Livros

O Pequeno Livro da Amizade

Edição/reimpressão: 2012

Páginas: 40
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722346634
Faixa etária: dos 4 aos 6 anos

Sinopse

Queres ter amigos para toda a vida?
Mas como hás de encontrá-los e, mais importante ainda, como manter uma verdadeira amizade com eles?
Com a premissa de que os bons amigos se mantêm unidos seja em que situação for (mesmo quando veem um esqueleto de um dinossauro), O Pequeno Livro da Amizade cultiva a união entre os protagonistas. Animais como a girafa, o crocodilo, o leão, a zebra, o elefante, a foca ou a tartaruga são exemplo disso. Estes pequenos livros são os livros ilustrados que todos os pais e educadores sempre quiseram ter. Através deles, vão poder ensinar coisas importantes às crianças de uma forma divertida.
O Pequeno Livro da Amizade de Christine Coirault
Fonte: Wook
(Uma recomendação da Princesinha cá de casa, com o alto patrocínio dos pais, é claro!! :-) )

As Chaves do Século XXI

Sinopse

Este livro resulta da compilação das “Conferências do Século XXI” organizadas pela UNESCO e coordenadas por Jêrome Blindé. No prefácio à obra, Koïchiro Matsura, director-geral da organização, fala dos “desafios inéditos” que se colocam à humanidade no dealbar de um novo século. Diz ele: “O mundo e a aventura humana parecem mais ricos de potencialidades, mais complexos, mais interdependentes, mas igualmente, sem dúvida, mais incertos do que nunca. Torna-se cada vez mais necessário libertarmo-nos desta força centrífuga provocada pela aceleração considerável do ritmo das evoluções, uma vez que o progresso a que nos referimos pode facilmente tomar um aspecto ameaçador e deixar de ser humano.” 

Segue-se uma série de textos de conceituados especialistas (Ilya Prigogine, Stephen Jay Gould, Edgar Morin, Philippe Sollers, Jean Baudrillard, Gianni Vattimo, Alain Touraine, Federico Mayor, etc.), sobre os mais variados assuntos, desafios e problemas que se colocam ao homem e à humanidade à entrada de um novo século: o futuro do futuro, a sobrepopulação, as biotecnologias, a poluição, a água, a alimentação, as formas de energia, o património, as línguas, a literatura, as artes, as paixões, a inteligência artificial, a educação, a net, os conflitos, a construção da paz, a pobreza e a exclusão, o ambiente, o desenvolvimento sustentado. Como diz Morin, no seu artigo, “tudo depende de nós, somos nós que temos de construir”.

Fonte: Wook

Administração da Educação: Lógicas Burocráticas e Lógicas de Mediação

Sinopse

Trata-se de uma obra de síntese e de referência sobre os (des)caminhos da Administração da Educação em Portugal, não sem dar conta do que se passa ao nível do contexto Europeu nos domínios da descentralização, desconcentração e autonomia dos distintos sistemas educativos.
Partindo de uma caracterização dos processos políticos de administração da educação portuguesa nos séculos XIX e XX e interligando os processos técnicos, gestionários, participativos e societários, a obra alarga horizontes dando-nos, já no capítulo II, uma panorâmica europeia do trinómio descentralização, desconcentração e autonomia. No cap. III faz-se a história do modelo de administração da escola de interessa público em Portugal de 1926 a 1986 e o capítulo seguinte dá conta das políticas recentes (até 2003/2004). O cap. V dá conta da tensão existente entre duas metáforas organizacionais – o centro e a rede –, o seguinte visita experiências dos municípios portugueses no âmbito dos contextos educativos locais, e cap. VII prolonga a reflexão em torno da cidade educadora e da coordenação local da educação. Finalmente, o último capítulo debruça-se sobre a problemática dos Agrupamentos de Escolas dando conta das lógicas burocráticas e das lógicas de mediação. Uma obra única para todos os que querem conhecer os complexos terrenos que pisam.
Fonte: Wook

Cidadania – Uma Visão para Portugal

Sinopse

É frequente ouvir os nossos concidadãos afirmarem que têm grande orgulho em serem portugueses. Como é que esta afirmação se coaduna com o habitual pessimismo patente na avaliação das nossas capacidades e potencialidades?

Ser cidadão em Portugal no início do século XXI é um tema que merece reflexão e que é muito mais vasto do que o conjunto dos direitos e deveres políticos inerentes ao regime e sociedade democráticos em que hoje vivemos, não podendo ser simbolicamente reduzido a uma série de cartões de identificação.

Assim, em Cidadania: Uma Visão para Portugal desafiámos várias personalidades que têm tido um papel relevante na formação da cidadania portuguesa, ao longo das últimas décadas, a escreverem sobre este tema.

Mário Soares, Diogo Freitas do Amaral, António Correia de Campos, Augusto Santos Silva, Eduardo Marçal Grilo, Francisco Louçã, Joaquim Gomes Canotilho, Jorge Miranda, José Manuel Fernandes, Miguel Cadilhe, Miguel Veiga, Paulo Teixeira Pinto e Teresa Ambrósio, aceitaram o repto. Estamos certos de que a leitura destes textos contribuirá para uma visão ampla e prospectiva do conceito de cidadania.

Fonte: Wook

Michael Fullan – “Leadership And Sustainability: System Thinkers In Action”

Sinopse

Examines how the opportunity for new leadership can be leveraged to focus on sustainability of reform, and identifies barriers and strategies for moving in new directions. This book explores the two-way street relationship between individual leadership and system transformation.
Fonte: Wook
« Older Entries Newer Entries »