Notí­cias

Globalização – um novo conceito

MPj03900830000[1]

Apesar de no séc. XIX já estarem reunidas algumas das condições necessárias para promover a globalização, a verdade é que, principalmente nas últimas duas décadas, surgiram novos elementos para a globalização.

Novos mercados, novos actores, novas regras e normas, novos instrumentos de comunicação aparecem agora como os grandes factores conducentes à globalização.

Nos novos mercados englobam-se:

“- mercados mundiais em crescimento nos serviços – banca, seguros, transportes.

– novos mercados financeiros – desregulamentados, interligados mundialmente, trabalhando 24 horas por dia, com acção à distância em tempo real, com novos instrumentos tais como os derivados. Os corretores financeiros estão no topo das ligações. Comunicações instantâneas, fluxos livres de capital e constantes actualizações vindas de todo o mundo habilitam os mercados financeiros, de Londres a Jacarta, de Tóquio a Nova Iorque, a actuar como uma unidade, em tempo real.

– proliferação de fusões e aquisições – as fusões e aquisições além fronteiras foram responsáveis por 59% do investimento directo estrangeiro total em 1997.

– mercados mundiais de consumo com marcas mundiais.”

Por novos actores entendem-se:

“- sociedades multinacionais, com produção e comercialização integradas, dominando a produção mundial – as empresas multinacionais percorrem os mercados mundiais e integram a produção.

– a Organização Mundial do Comércio – primeira organização multilateral com autoridade para impor o cumprimento de regras aos governos nacionais;

– um sistema internacional de tribunais criminais em criação;

– uma rede internacional de ONG em grande expansão – as ONG, em linha, podem fazer campanhas em todo o mundo, com as suas mensagens atravessando fronteiras em segundos.

– blocos regionais em proliferação e ganhando importância – União Europeia, Associação dos Países do Sudeste Asiático, Mercosul, Acordo Norte-Americano de Comércio Livre, Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral, entre muitos outros;

– mais agrupamentos de coordenação de políticas – G-7, G-10, G-22, G-77, OCDE.”

More

Tratado de Lisboa

Tratado de Lisboa

O Tratado de Lisboa entrou em vigor a 1 de Dezembro de 2009. Portugal aprovou o texto a 23 de Abril de 2008. Este dossier foi criado com o objectivo de facilitar a sua compreensão do documento.

Perguntas e respostas sobre o Tratado de Lisboa

a) O Tratado de Lisboa explicado aos jovens e aos adultos: Publicações e apresentações que resumem o Tratado de Lisboa de forma simples e acessível. Para que todos compreendam o Tratado. Destaque: Apresentações pedagógicas e quiz actualizados. Disponível em: Eurocid

Education at a Glance 2009: OECD Indicators

Fonte: OCDE

43586425English cover 150

This year’s edition of Education at a Glance is published at a time when all eyes are focused on addressing the financial crisis and its economic and social fallout. Presenting data up to 2007, this edition cannot yet assess the impact of the crisis on education systems, but its indicators provide insights about how investments in human capital can contribute to the recovery. New features in the 2009 edition include an extension of the analysis of the economic returns to education to social outcomes; new data on long-term unemployment and involuntary part-time work among young adults; an analysis of the spending choices that countries make between factors such as teacher compensation, instruction time and class sizes; an analysis on teaching practices as well as teacher appraisal and feedback based on TALIS; and a review of excellence in education for 15-year-olds based on PISA.

« Older Entries Newer Entries »