ensino secundário

“50 Anos de Estatísticas da Educação (ensino não-superior)”

Fonte: Ministério da Educação

A publicação “50 Anos de Estatísticas da Educação” apresenta um conjunto de indicadores estatísticos demonstrativos da evolução do sistema educativo: taxa real de escolarização, número de alunos matriculados, número de professores, de educadores de infância e de estabelecimentos de ensino.

As séries estatísticas relativas aos últimos 50 anos, cuja compilação foi da responsabilidade do Gabinete de Estatísticas e Planeamento da Educação (GEPE), do Ministério da Educação, constituem um importante instrumento para o estudo da evolução da procura e da oferta do sistema de educação em Portugal em décadas muito significativas para a história do país.

Alguns resultados:

  • A generalização do acesso à escola foi, seguramente, o factor mais relevante no período em análise, conforme decorre do conjunto da informação estatística agora disponibilizado: entre o ano lectivo de 1960/1961 e o ano lectivo de 2007/2008, a procura do sistema educativo registou um aumento global superior a 700 000 alunos.
  • O número de matrículas nos vários níveis de ensino apresentou evoluções diferenciadas e não homogéneas ao longo do tempo, com especial destaque para o ensino básico que, em 2006/2007, conseguiu inverter a tendência de decréscimo que se vinha a verificar desde 1982/1983.

Gráfico - Alunos matriculados, segundo o nível de educação/ensino, por ano lectivo (n.º) (Volume II, quadro A.0.1.0.0)

Alunos matriculados, segundo o nível de educação/ensino, por ano lectivo (n.º) (Volume II, quadro A.0.1.0.0)

Há cada vez menos alunos a desistir da escola e as taxas de retenção apresentam uma curva descendente na última década. A taxa de retenção e desistência no ensino básico baixou de 13,8%, em 1995/1996 para 7,9% em 2007/2008.

Gráfico - Taxa de retenção e desistência, por ano lectivo (%) (Volume I, quadro 8.1.0.0)

Taxa de retenção e desistência, por ano lectivo (%) (Volume I, quadro 8.1.0.0)

De realçar ainda o sucesso na igualdade de género no acesso à escola. As alunas representavam 52,7% do total de alunos do ensino secundário, quando em 1960/1961 representavam apenas 37,2%.

Gráfico - Taxa de feminidade no ensino secundário, por ano lectivo (%º) (Volume I, quadro 5.1.0)

Taxa de feminidade no ensino secundário, por ano lectivo (%º) (Volume I, quadro 5.1.0)

A publicação “50 Anos de Estatísticas da Educação” é apresentada em três volumes e inclui uma apresentação genérica sobre a evolução da produção estatística sobre Educação, em Portugal, e sobre a organização do sistema de ensino.

Os dados são apresentados em tabelas com taxas e indicadores e a publicação em papel é acompanhada de um CD com ficheiros Excel, de modo a uma mais fácil utilização da informação estatística por parte dos interessados.

A publicação “50 Anos de Estatísticas da Educação” pode ser obtida também em formato PDF nas páginas electrónicas das duas entidades responsáveis pela sua elaboração: INE GEPE .

Para mais informações, consultar:

  • 50 Anos de Estatísticas da Educação:
    Volume I [PDF] Volume II [PDF] Volume III [PDF]